"Uma oração sem fé é uma fórmula vazia. Quem é tolo a ponto de perder tempo pedindo algo em que não crê?
A fé é o manancial; a oração, o riacho. Como pode correr o riacho se o manancial está seco?"
(Santo Agostinho)

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

COROA DE SÃO JOSÉ ESPOSO CASTÍSSIMO DA MÃE DE DEUS



Para implorar o seu auxilio em qualquer necessidade

Louvemos de todo o coração o Senhor nosso Deus.

R: Honrando e recomendando-nos com muito fervor a São José pela mais alta e excelente dignidade, depois da divina maternidade.

R: Por todos os séculos dos séculos.

Louvemos e demos graças á Trindade generosíssima, por ter adornado o glorioso Patriarca São José, mais do que a nenhum outro santo com os seus celestes dons e divinos carismas.

R: Por todos os séculos dos séculos.

Louvemos e demos graças á Trindade bondosíssima, por ter constituido o glorioso São José sobre a sua familia, e havê-lo instituido em nosso favor, fiel administrador de todos os seus bens.

R: Por todos os séculos dos séculos.

Louvado, exaltado e glorificado seja o Pai Eterno, por ter escolhido o excelso São José para que junto ao Filho de Deus, fizesse as suas vezes na terra, e por lhe ter dado um coração amoroso e paternal para com o divino Filho, e supliquemos-lhe com grande fervor e profundíssima humildade nos conceda o que tanto desejamos. Amém.

Pai Nosso... Avé Maria... Glória ao Pai...

Louvado, exaltado e glorificado seja o Filho Unigénito, por ter recebido o excelso São José por seu Pai adoptivo, e infundido no seu coração um cuidado amoroso e diligente para zelar pela sua vida, alimentá-lo, vesti-lo e defendê-lo; e supliquemos-lhe confiadamente nos conceda a graça de que tanto necessitamos. Amém.

Pai Nosso... Avé Maria... Glória ao Pai...

Louvado, exaltado e glorificado seja o Espírito Divino, que no egrégio São josé deu á Virgem Imaculada um esposo castíssimo, muito semelhante á celeste Senhora, e fiel custódio da sua virgindade, enchendo ao mesmo tempo o coração do ilustre Patriarca de muito amor e grande estima pelo tesouro que lhe tinha confiado; e roguemos-lhe, e supliquemos-lhe e até importunemo-lo humildemente e com afecto de filhos para conseguir a graça de que tanto precisamos, e pela que tanto suspiramos. Amém.

Pai Nosso... Avé Maria... Glória ao Pai...

ORAÇÃO

Ó glorioso S. José, a quem o Pai Eterno comunicou a sua paternidade, o Filho divino honrou com esta mesma qualidade, e o Espírito Santo escolheu para ser esposo da sua mesma Esposa; eu vos felicito e dou mil parabéns, porque fostes levantado a tão alta dignidade e adornado de tantas graças. Mas lembrai-vos, ó glorioso Santo, que de alguma maneira também sois nosso pai, porque o sois de Jesus nosso irmão maior. Não esqueçais ainda que sois o verdadeiro esposo da nossa Mãe muito amada e por esse mesmo titulo também pai dos filhinhos daquele Coração Imaculado.
Ora, cheios de confiança filial, erguemos hoje os olhos e os fitamos nesse vosso rosto bondosissimo, e a Vós bradamos na presente necessidade, bem assim como pintainhos que constantemente brandam pelas suas mães. E ainda com muita mais razão, porque não há amor de mãe por extremosa que seja que igual nem se possa comparar ao amor que Vós nos tendes. Lançai, pois, um olhar amoroso para os que assim vos contemplam, e para os que a Vós clamam do fundo dos seus corações. Compadeçam-se essas entranhas, já de si tão ternas, das necessidades em que nos encontramos.

Fazei, pai amado, que as obras digam com o nome que levais, que significa acréscimo, e desempenhai-vos dignamente de titulo de Padroeiro e Protector Universal, que vos dá a Igreja. Fazei connosco segundo a multidão das vossas misericórdias, e sejam as obras, garantia dos vossos oficios: fazei enfim como quem sois. Olhai, Pai misericordiosíssimo, que não mudastes de condição, que o vosso poder extende-se a todas as nossas necessidades; eia, zelai pela vossa honra. E se tudo isto não bastar, vo-lo pedimos pelo grande amor que tivestes á vossa amada Esposa e ao bom Jesus, de cuja a divina presença desejamos gozar convosco, pelas eternidades das eternidades na celeste Jerusalém. Amém.

DIA 19 DE FEVEREIRO



MEDITAÇÃO

Circunstâncias da morte

1º PONTO

É certo que morrerás: é decreto de Deus que os homens morram uma vez só; Mas quando morrerás? Morrerás moço? Chegarás á velhice? Podes morrer hoje... podes não passar deste mês... Se morreres hoje, como te acharia a morte?...

2º PONTO

Morrerás... não há poder para escapar da morte; mas onde morrerás? Morrerás na cama? Morrerás em tua casa? Morrerás assistido espiritualmente?... Nada disso sabes: em todo o lugar podes morrer, por tanto em todo o lugar deves estar preparado.

3º PONTO

Morrerás sem dúvida: mas como? Morrerás preparado? Morrerás assistido pelo teu confessor e fortificado com os santos sacramentos? Morrerás de morte natural? Morrerás de repente?... Nada disso sabes, o que porém é certo é que quem santamente vive, santamente costuma morrer.

Fruto – Pensa que pode ser hoje o último dia da tua vida.

ORAÇÃO

Ó Deus, que sendo admirável nos vossos Santos, o sois mais no bem-aventurado José, a quem constítuistes dispensador dos celestes dons sobre a vossa familia: concedei-nos que sendo ajudado pelos rogos e méritos daquele, cujo o nome devotamente celebramos, cheguemos com felicidade ao porto da eterna salvação. Por Jesus Cristo Nosso Senhor, Amém.

Fonte: Devoto Josephino – 1935


ORAÇÃO PELA PATRIA DO BRASIL, PELA IGREJA E PELO SANTO PADRE


terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

SÚPLICA AOS SANTOS ANJOS



Deus Uno e Trino, Omnipotente e Eterno!

Antes de recorrermos aos Vossos servos, os Santos Anjos, prostramo-nos na Vossa presença e Vos adoramos Pai, Filho e Espírito Santo, bendito e louvado sejais por toda a eternidade!

Deus Santo, Deus Forte, Deus Imortal, que tudo quanto por Vós foi criado Vos adore, Vos ame e permaneça ao Vosso serviço!

E Vós, Maria, Rainha de todos os Anjos, aceitai benignamente as súplicas que dirigimos aos Vossos servos, apresentai-as ao Altíssimo, Vós que sois a Medianeira de todas as graças e a omnipotência suplicante — a fim de obtermos graça, salvação e auxílio. Amém.

Poderosos Santos Anjos, que por Deus nos fostes concedidos para nossa proteção e auxílio, em nome da Santíssima Trindade nós Vos suplicamos:

- Vinde depressa, socorrei-nos!

Nós Vos suplicamos em nome do Preciosíssimo Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo:

- Vinde depressa, socorrei-nos!

Nós Vos suplicamos pelo Poderosíssimo nome de Jesus:

- Vinde depressa, socorrei-nos!

Nós Vos suplicamos por todas as chagas de Nosso Senhor Jesus Cristo:

- Vinde depressa, socorrei-nos!

Nós Vos suplicamos por todos os martírios de Nosso Senhor Jesus Cristo:

- Vinde depressa, socorrei-nos!

Nós Vos suplicamos pela Palavra Santa de Deus:

- Vinde depressa, socorrei-nos!

Nós Vos suplicamos pelo Coração de Nosso Senhor Jesus Cristo:

- Vinde depressa socorrei-nos!

Nós Vos suplicamos em nome do Amor que Deus tem por nós, pobres:

- Vinde depressa, socorrei-nos!

Nós Vos suplicamos em nome da fidelidade de Deus por nós, pobres:

- Vinde depressa, socorrei-nos!

Nós Vos suplicamos em nome da misericórdia de Deus por nós, pobres:

- Vinde depressa, socorrei-nos!

Nós Vos suplicamos em nome de Maria, Mãe de Deus e Mãe Nossa:

- Vinde depressa, socorrei-nos!

Nós Vos suplicamos em nome de Maria, Rainha do Céu e da Terra:

- Vinde depressa, socorrei-nos!

Nós Vos suplicamos, em nome de Maria, Vossa Rainha e Senhora:

- Vinde depressa, socorrei-nos!

Nós Vos suplicamos pela Vossa própria Bem-aventurança:

- Vinde depressa, socorrei-nos!

Nós Vos suplicamos pela Vossa, própria fidelidade:

- Vinde depressa, socorrei-nos!

Nós Vos suplicamos pela Vossa luta na defesa do Reino de Deus:

- Vinde depressa, socorrei-nos!

Nós Vos suplicamos:

- Protegei-nos com o vosso escudo!

Nós Vos suplicamos:

- Defendei-nos com a vossa espada!

Nós Vos suplicamos:

-Iluminai-nos com a vossa, luz!

Nós Vos suplicamos:

- Salvai-nos sob o manto protector de Maria!

Nós Vos suplicamos:

- Guardai-nos no Coração de Maria!

Nós Vos suplicamos:

- Confiai-nos ás mãos de Maria!

Nós Vos suplicamos:

- Mostrai-nos o caminho que conduz á Porta da Vida o Coração aberto de Nosso Senhor!

Nós Vos suplicamos:

- Vinde - Guiai-nos com segurança á Casa do Pai Celestial!

Todos Vós, os nove coros dos Espíritos bem-aventurados:

- Vinde depressa, socorrei-nos!

Anjos da Vida:

- Vinde depressa, socorrei-nos!

Anjos do Verbo de Deus:

- Vinde depressa, socorrei-nos!

Anjos do Amor:

- Vinde depressa, socorrei-nos!

Nossos companheiros especiais e enviados por Deus:

- Vinde depressa, socorrei-nos!

Porque o Sangue Preciosíssimo de Nosso Senhor e Rei clama que venhais em auxílio de nós pobres:

- Insistentemente Vos suplicamos: vinde depressa, socorrei-nos!

Porque o Coração de Nosso Senhor e Rei clama que venhais em auxílio de nós, pobres:

- Insistentemente Vos suplicamos: vinde depressa, socorrei-nos!

Porque o Coração Imaculado de Maria Virgem Puríssima e Vossa Rainha clama que venhais em auxílio de nós, pobres:

- Insistentemente Vos suplicamos: vinde depressa, socorrei-nos!

São Miguel Arcanjo

Vós, Príncipe dos exércitos celestes, Vencedor contra o dragão infernal, recebestes de Deus a força e o poder para aniquilar pela humildade a soberba do príncipe das trevas.

Insistentemente Vos suplicamos que nos alcanceis de Deus a verdadeira humildade de coração, uma fidelidade inabalável no cumprimento contínuo da vontade de Deus e uma grande fortaleza no sofrimento e na penúria.

Ao comparecermos perante o tribunal de Deus socorrei-nos para que não desfaleçamos!

São Gabriel Arcanjo

Vós Anjo da Encarnação, Mensageiro fiel de Deus, abri os nosso ouvidos para que possam captar até as mais suaves sugestões e apelos da graça emanados do Coração amabilíssimo de Nosso Senhor.

Nós Vos pedimos que fiqueis sempre junto de nós para que compreendendo bem a palavra de Deus e as Suas inspirações saibamos obedecer-lhe cumprindo docilmente aquilo que Deus quer de nós.

Fazei que estejamos sempre disponíveis e vigilantes.

Que o Senhor, quando vier, não nos encontre dormindo!

São Rafael Arcanjo

Vós que sois a lança e o bálsamo do Amor Divino, feri o nosso coração e depositai nele um Amor ardente a Deus.

Que a ferida não se apague nele para que nos faça perseverar todos os dias no caminho da caridade e do amor.

Que tudo vençamos pelo Amor!

Anjos poderosos e nossos Irmãos Santos que servis diante do Trono de Deus, vinde em nosso auxílio.

Defendei-nos de nós próprios, da nossa cobardia e tibieza, do nosso egoísmo e ambição, da nossa inveja e falta de confiança, da nossa avidez na busca da abundância, do bem-estar e da estima pública.

Desatai em nós as algemas do pecado e do apego ás coisas terrenas. Tirai dos nossos olhos as vendas que nós mesmos lhes pusemos e que nos impedem de ver as necessidades do nosso próximo e a miséria do nosso ambiente porque nos fechamos numa mórbida complacência de nós mesmos.

Cravai no nosso coração o aguilhão da santa ansiedade por Deus para que não cessemos de procurá-lO com ardor, contrição e amor.

Contemplai em nós o Sangue do Senhor; derramado por nossa causa!

Contemplai em nós as lágrimas da Vossa Rainha; choradas por nossa causa!

Contemplai em nós a pobre, desbotada e arruinada imagem de Deus, comparando-a com a imagem íntegra que Deus no princípio, por amor, imprimiu na nossa alma.

Auxiliai-nos na luta contra o poder das trevas que disfarçadamente nos envolve e aflige.


Auxiliai-nos para que nenhum de nós se perca, permitindo assim que um dia nos reunamos todos, jubilosamente na Eterna Bem-Aventurança. Amém.

sábado, 15 de fevereiro de 2014

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

ADORAÇÃO AO SANTÍSSIMO SACRAMENTO



Eu vos adoro devotamente, oh! Divindade escondida, que verdadeiramente Se oculta sob estas aparências, a Vós, o meu coração submete-se todo inteiro, porque, vos contemplando, tudo desfalece.

A vista, o tacto, o gosto falham com relação a Vós mas, somente em vos ouvir em tudo creio. Creio em tudo aquilo que disse o Filho de Deus, nada mais verdadeiro que esta Palavra de Verdade.

Na Cruz, estava oculta somente a vossa Divindade, mas aqui, oculta-se também a vossa Humanidade.

Eu, contudo, crendo e professando ambas, peço aquilo que pediu o ladrão arrependido.

Não vejo, como Tomé, as vossas chagas, entretanto, vos confesso meu Senhor e meu Deus.

Fazei que eu sempre creia mais em Vós, e em vós esperar e vos amar.

Oh! memorial da morte do Senhor, Pão vivo que dá vida aos homens, fazei que a minha alma viva de Vós, e que a ela seja sempre doce este saber.

Senhor Jesus, bondoso pelicano, lavai-me, eu que sou imundo, no vosso sangue, pois que uma única gota faz salvar todo o mundo e apagar todo o pecado.

Oh! Jesus, que velado agora vejo, peço que se realize aquilo que tanto desejo: Que eu veja claramente a vossa face revelada; que eu seja feliz contemplando a vossa glória.

Amém.


Composta por São Tomas de Aquino, a pedido do papa Urbano IV. 1263

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

A VIRGEM CONSOLA UMA PASTORINHA MORIBUNDA QUE A HONROU COM HUMILDES GESTOS DURANTE A SUA VIDA

Conta o Padre Auriema que uma pastorinha de ovelhas tinha muito amor a Maria Santíssima. Todas as suas delícias eram ir a uma capela da Virgem, que estava no monte, e aí entreter-se sossegadamente com a sua boa Mãe, enquanto pastavam as ovelhas. E porque a pequena estátua da Mãe de Deus estava sem enfeite algum, pôs-se a fazer-lhe um manto; com suas pobres mãozinhas. Um dia, colhendo do campo algumas singelas flores, delas compôs uma grinalda. Depois, subindo ao altar, a pôs  na cabeça da imagem, dizendo: Minha Mãe, eu quisera pôr-vos na cabeça uma coroa de ouro, mas não posso porque sou pobre. Assim recebei de mim esta pobre coroa de flores; aceitai-a em sinal do amor que vos tenho. Com estes e semelhantes obséquios buscava a piedosa pastorinha servir e honrar a sua amada Rainha. Ora, vejamos agora como a boa Mãe recompensou as visitas e o afeto desta sua filha.


Caiu ela enferma e chegou a termos de morrer. Sucedeu que dois religiosos passando por aquele lugar, e cansados da viagem, se puseram a descansar debaixo de uma árvore. Um dormia e o outro estava acordado. Mas ambos tiveram a mesma visão. Viram um grupo de belíssimas virgens, e entre elas estava uma que em beleza e majestade excedia a todas. A esta perguntou um dos religiosos: Quem sois vós, Senhora, e aonde ides? - Eu - respondeu a Virgem - sou a Mãe de Deus e vou com estas santas virgens visitar aqui na aldeia uma pastorinha moribunda, que muitas vezes me visitou a mim. Assim disse e desapareceu. Disseram então aqueles bons servos de Deus: Vamos nós também vê-la! Prepararam-se; e, chegando á casa onde estava a pastorinha moribunda, entraram na pobre choupana e ali a viram deitada sobre um pouco de palha. Saudaram-na; ela fez o mesmo e lhes disse: Irmãos, rogai a Deus que vos faça ver quem me está assistindo. Logo ajoelharam-se eles e viram a Mãe de Deus que estava ao lado da pastorinha com uma coroa na mão, e a consolava. Eis que as virgens começaram a cantar, e ao som daquele suave canto saiu do corpo a bendita alma da pastorinha. Maria colocou-lhe então a coroa na cabeça, tomou-lhe a alma e levou-a consigo para paraíso.

Fonte: Livro Glórias de Maria - Santo Afonso Maria de Ligório

ORAÇÃO A NOSSA SENHORA DE LOURDES


VIRGEM SANTÍSSIMA INTERCEDEI PELA SANTA IGREJA


A VIRGEM MARIA CONVERTE UM PROTESTANTE QUE MORRE NO MEIO DE ANJOS



A História das fundações da Companhia de Jesus no reino de Nápoles conta-nos sobre um jovem fidalgo escocês, chamado Guilherme Eltinstônio. Era ele parente do rei Jaime e protestante desde o nascimento. Mas, iluminado pela graça divina que lhe fez conhecer os erros da sua seita, foi á França e aí, ajudado por um bom padre jesuíta, também escocês, e mais com a intercessão da bem-aventurada Virgem, reconheceu a verdade e fez-se católico.

Passou-se depois para Roma, onde mais ainda se afervorou na devoção á Mãe de Deus, escolhendo-a por sua única Mãe. Inspirou-lhe a Virgem a resolução de ser religioso, de que fez voto. Mas, achando-se doente, veio a Nápoles, porém, quis o Senhor que ele morresse e morresse religioso. Pouco depois da sua chegada adoeceu gravemente, correndo perigo a sua vida. Á custa de muitas lágrimas e rogos obteve dos superiores a graça de ser recebido na Companhia. Pelo que na presença do Santíssimo Sacramento, quando recebeu o Viático, fez os votos, e foi declarado religioso da Companhia.

Depois disto a todos enternecia com os fervorosos afetos, com que dava graças a Maria, sua amada Mãe, por tê-lo arrancado da heresia, e conduzido para morrer na casa de Deus entre os seus irmãos religiosos. Por isso exclamava: Oh! como é glorioso morrer no meio de tantos anjos! Exortam-no a que procure repousar, e ele: Ah! agora que já chega o fim da minha vida, não é tempo de repousar.


Antes de expirar, disse aos assistentes: Irmãos, não vedes os anjos do céu que me assistem? E havendo um daqueles religiosos percebido que ele proferia entre os dentes algumas palavras, lhe perguntou o que dizia. Respondeu que o seu anjo da guarda lhe tinha revelado que pouco tempo havia de estar no purgatório, e que logo depois passaria para o paraíso. Recomeçou em seguida os colóquios com Maria, sua doce Mãe, repetindo: Minha Mãe, minha Mãe! E assim expirou placidamente, como uma criança que se entrega nos braços da mãe, para neles repousar. Pouco depois foi revelado a um devoto religioso, que ele já estava ao Paraíso.

Fonte: Livro Glórias de Maria - Santo Afonso Maria de Ligório

A VIRGEM MARIA SALVA UMA INFELIZ PECADORA NA HORA DA MORTE



Lê-se na vida de sóror Catarina de S. Agostinho que havia, no lugar em que morava esta serva de Deus, uma mulher chamada Maria. A infeliz levara uma vida de pecados durante a mocidade. E já envelhecida, de tal forma se obstinara na sua perversidade, que fora expulsa pelos habitantes da cidade, e obrigada a viver numa gruta abandonada. Aí morreu finalmente, sem os sacramentos e sem a assistência de ninguém. Sepultaram-na no campo como um bruto qualquer.

Sóror Catarina costumava recomendar a Deus com grande devoção as almas de todos os falecidos. Mas, ao saber da terrível morte da pobre velha, não cuidou de rezar  por ela, pensando, como todos os outros, que já estivesse condenada. Eis que, passados quatro anos, um certo dia se lhe apresentou diante uma alma do purgatório, que lhe dizia:

- Sóror Catarina, que triste sorte é a minha! Tu encomendas a Deus as almas de todos os que morrem e só da minha alma não tens tido compaixão?

- Mas quem és tu? - disse a serva de Deus.

- Eu sou, - respondeu ela, - aquela pobre Maria, que morreu na gruta.

- E como te salvaste? - replicou sóror Catarina.

- Sim, eu me salvei por misericórdia da Virgem Maria.

- E como?

- Quando eu me vi próxima à morte, estando juntamente tão cheia de pecados e desamparada de todos, me voltei para a Mãe de Deus e lhe disse: Senhora, vós sois o refúgio dos desamparados. Aqui estou neste estado abandonada por todos. Vós sois a minha única esperança, só vós me podeis valer; tente piedade de mim. Então a Santíssima Virgem obteve-me a graça de eu poder fazer um acto de contrição; depois morri e fui salva. Além disso, esta minha Rainha alcançou-me a graça de ser abreviada a minha pena por sofrimentos mais intensos, porém menos demorados. Só necessito de algumas missas para me livrar mais depressa do purgatório. Rogo-te que as faças celebrar. Em troca prometo-te pedir sempre a Deus e à Santíssima Virgem por ti.


Sóror Catarina logo fez celebrar as missas. Depois de poucos dias tornou-lhe a aparecer aquela alma mais resplandecente do que o sol e lhe disse: Agora vou para o paraíso cantar as misericórdias do Senhor e rogar por ti.


Fonte: Livro Glórias de Maria - Santo Afonso Maria de Ligório

domingo, 9 de fevereiro de 2014

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

TRIDUO A S. JOSÉ POR UM ENFERMO



I

As enfermidades entram muitas vezes nos adoraveis planos da sabedoria divina. Sob a violência dos seus golpes, o homem entra mais facilmente em si, e considera, que é pó, e que ao pó um dia tornará; e então aprende melhor a desprender-se dos precários bens deste mundo, onde tudo é vaidade e inquietação.

Glorioso Patriarca S. José, fazei que o pobre enfermo por quem rogamos, compreenda bem e pratique esta grande verdade que por vossa intercessão alcance de Deus a graça da saúde, a fim de que, socorrido por vós, diga com reconhecimento: servirei sempre a Deus que é tão bom e poderoso!

Pai Nosso... Avé Maria... e Glória ao Pai...

II

As enfermidades nos revelam traços eloquentes da misericórdia divina. Quantas vezes, entre os males do corpo, dissipa-se ante o nosso espirito a nuvem que esconde os males da alma! Oh! Como nessas horas o coração se torna sensivel ás exprobrações da consciência, dócil ás inspirações do céu, e dicidido á práctica da virtude cristã!

Glorioso S. José, fazei que o enfermo por quem vos rogamos, deteste eficazmente as suas faltas, corrija os seus defeitos, e seja para sempre fiel aos seus deveres. Que ao mesmo tempo o vosso poderoso patrocinio lhe restitua a saúde, a fim de que, contente e reconhecido, ele proteste: invocarei sempre a S. José que tudo pode com a sua intercessão.

Pai Nosso... Avé Maria... e Glória ao Pai...

III

As enfermidades são sempre acompanhadas dos cuidados da bondade divina. Aquele que sabe amar, também corrige e castiga; e a mão que bate, é muitas vezes a de um pai extremoso. Convencidos de que o Senhor nunca lhes retira o amor, os Santos sofrem as enfermidades não só com paciência e resignação, mas até com alegria e entre acções de graças; e assim suas almas se purificam, como o ouro no cadinho, e fazem progressos na perfeição e na santidade.

Glorioso S. José, fazei, que o enfermo por quem vos rogamos, se aproveite dos seus sofrimentos para adquirir maiores méritos, para se santificar cada dia mais e para melhor satisfazer a justiça divina. Mas fazendo-o progredir na virtude, obtende-lhe a cura que ele espera de quem dá a morte, mas também vivifica; e que não permita o Senhor Omnipotente sejam continuas e sem termo as tribulações, quando as alegrias e consolações não o são.
Lembrai-vos ó grande Santo, de que tendes nos vossos braços o Menino Jesus, e vêde que, ainda quando parece dormir ao vosso peito, o seu coração vela e escuta as vossas orações. Sim, nós sabemos todos, para nossa viva consolação, que o vosso patrocinio é poderosíssimo, porque as súplicas que dirigirdes ao Filho de Deus, são irresistiveis para aquele que vos elegeu para seu Pai adoptivo.

Pai Nosso... Avé Maria... e Glória ao Pai...

V./Rogai por nós, bem-aventurado São José.
R./Para que sejamos dignos das promessas de Cristo.

Oremos.

Senhor, Deus Omnipotente, salvação eterna dos que creem e confiam em Vós, socorrei o vosso enfermo, em favor de quem imploramos a mediação do ínclito S. José, de modo que, recobrando a saúde e a paz, ele Vos renda continuas graças, e vos sirva fielmente no grémio da Igreja. Amém.

SALVÉ Ó SÃO JOSÉ


SÚPLICA AO ESPÍRITO SANTO



terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

ORAÇÃO PELAS VOCAÇÕES


ORAÇÕES PELAS ALMAS DO PURGATÓRIO PARA CADA DIA DA SEMANA



Domingo

Oh! Deus Omnipotente, eu Vos suplico, pelo sangue precioso que Vosso Divino Filho derramou no horto, que liberteis as almas do purgatório, e em particular concedais ás que estão mais esquecidas e abandonadas o eterno descanso, para que vos louvem e bendigam eternamente. Amém.

Reza-se o Pai-Nosso e Ave-Maria e o De Profundis (Sl 129).

Segunda-Feira

Oh! Deus Omnipotente, eu Vos suplico, pelo sangue precioso que Vosso Divino Filho derramou na cruel flagelação que sofreu, que liberteis as almas do purgatório, e em particular as que estão mais próximas a entrar na Vossa Glória, para que comecem a louvar-Vos e a bendizer-Vos eternamente. Amém.

Reza-se o Pai-Nosso e Ave-Maria e o De Profundis (Sl 129).

Terça-Feira

Oh! Deus Omnipotente, eu Vos suplico, pelo sangue precioso que Vosso Divino Filho derramou na coroação de espinhos, que liberteis as almas do purgatório, e em particular a que deveria a última a sair, para que não tarde tanto a louvar-vos e bendizer-Vos ternamente. Amém.

Reza-se o Pai-Nosso e Ave-Maria e o De Profundis (Sl 129).

Quarta-Feira

Oh! Deus Omnipotente, eu Vos suplico, pelo sangue precioso que Vosso Divino Filho derramou pelas ruas de Jerusalém na condução da cruz ás costas, que liberteis as almas do purgatório, e em particular a mais rica de méritos, afim de que, no sublime trono de glória que a espera, Vos louve e bendiga eternamente. Amém.

Reza-se o Pai-Nosso e Ave-Maria e o De Profundis (Sl 129).

Quinta-Feira

Oh! Deus Omnipotente, eu Vos suplico, pelo sangue precioso que Vosso Divino Filho, que na noite da sua paixão Ele próprio deu em comida e bebida aos seus amados Apóstolos e deixou a toda a Igreja em sacrifício perpétuo e alimento vivificante dos seus fiéis, liberteis as almas do purgatório, e em particular a mais devota deste mistério de amor, para que por ele Vos louve com o Vosso divino Filho e com o Espírito Santo na Vossa glória eternamente. Amém.

Reza-se o Pai-Nosso e Ave-Maria e o De Profundis (Sl 129).

Sexta-Feira

Oh! Deus Omnipotente, eu Vos suplico, pelo sangue precioso que Vosso Divino Filho derramou na árvore da cruz, especialmente dos seus sacratíssimos pés e mãos, que liberteis as almas do purgatório, e em particular aquelas por quem tenho maior obrigação de pedir, para que não se demorem ali penando por minha culpa, nem sejam por mais tempo privadas de Vos louvar e bendizer eternamente. Amém.

Reza-se o Pai-Nosso e Ave-Maria e o De Profundis (Sl 129).

Sábado

Oh! Deus Omnipotente, eu Vos suplico, pelo sangue precioso que manou do lado de Vosso divino Filho, á vista e com extrema dor de sua Mãe Santíssima, que liberteis as almas do purgatório, e em particular a que tenha sido mais devota desta senhora, para que senão demore em ir louvar-Vos na glória, por todos os séculos dos séculos. Amém.

Reza-se o Pai-Nosso e Ave-Maria e o De Profundis (Sl 129).


sábado, 1 de fevereiro de 2014

SÃO JOSÉ - POESIA

SÃO JOSÉ



(Poesia)

O mundo, tempo atrás, achou-se em estupor
Quando o astro do dia, o áureo semeador,
Que na azul amplidão seu roteiro conduz,
Deixando a glória entrar no campo dos hebreus,
Ao mando dum mortal fez parar lá nos céus
Seu carro esplêndido de luz.

Mas, não foi tal milagre ao cimo do fastigio,
Não foi senão a voz dum mais alto prodigio;
Um homem casto e doçe, alma ás lutas submissa,
Viu, não uma vez, mas mil, lá nos espaços
Atendê-lo... mover-se... e seguir os seus passos
O sol divino da Justiça.

Aquele, cuja a voz o mundo fecundou,
Que fez o mar furente e a fronte pura ornou.
Que os etéreos jardins floriu com resplendores,
Que os berços povoou de anjinhos para a altura,
Que os anjos a cantar escutam-no em ventura,
Prostrando-se ante seus fulgores...

Aquele se submete ás ordens de José
Que da Familia santa é o guia e chefe até...
E Filho, o Poderoso o escuta... Oh, maravilha...
Seus sonhos divinais... Seus divinos anhelos
Entrega docemente aos conselhos singelos
Do humilde pai que lhe abre a trilha.

Que amor ao coração dos dois mil ali se impõe...
E aquela hora, José, entre a humildade expõe:
Quando, á noite, Jesus mansamente adormece,
Nos pés dessa criança, as cans ele repousa.
Perto da Virgem Mãe... e longo tempo goza
Momentos de extâse e de prece.


Fonte: Os Ensinamentos de Nazareth – 1941

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

PAI NOSSO DAS ALMAS DO PURGATÓRIO

O Pai Nosso das almas do purgatório
Pedido por Jesus a Santa Mechtilde - século XIII


Um dia em que Santa Mechtilde havia acabado de comungar e oferecer a Deus a Hóstia Preciosíssima, a fim de que Ela servisse para a libertação das almas do Purgatório, com a remissão dos seus pecados e a reparação das suas negligências, ouviu o Senhor dizer-lhe:

“Reze por elas um Pai Nosso em união com a intenção que eu tive, ao tirá-lo do Meu Coração, a fim de ensiná-lo aos homens”. 

Ao mesmo tempo, a inspiração Divina desvendou á Santa as intenções (cuja fórmula sucinta está neste folheto). 

E quando Santa Mechtilde acabou de rezar o Pai Nosso nessas intenções, ela viu uma grande multidão de almas, rendendo graças a Deus pela sua libertação do Purgatório, numa alegria extrema. A cada vez que a Santa rezava essa oração, via uma legião de almas subindo para o Céu.

Socorramos as pobres almas do Purgatório, que nada podem para si mesmas, a não ser sofrer, esperando pelos nossos sufrágios, rezar por nós e serem gratas.

O PAI NOSSO:

PAI NOSSO QUE ESTAIS NO CÉU... Eu vo-lo peço, ó Pai Eterno, que perdoeis ás almas do Purgatório por não Vos terem amado, nem rendido toda a honra que Vos é devida a Vós, seu Senhor e Pai, que só por pura graça as adotastes como filhas. E elas, no entanto, por causa dos seus pecados, Vos expulsaram do seu coração onde desejáveis sempre habitar. Em reparação desses pecados por elas cometidos, eu Vos ofereço todo o amor e toda a veneração que o Vosso Filho feito Homem Vos testemunhou ao longo de toda a Sua vida terrestre, e eu Vos ofereço todas as acções de penitência e de satisfação pelas quais Ele apagou e expiou os pecados dos homens.

SANTIFICADO SEJA O VOSSO NOME... Eu Vos suplico, ó Eterno PAI, que perdoeis ás almas do Purgatório, por não terem honrado dignamente o Vosso Santo Nome, por terem-No pronunciado freqüentemente em vão e terem-se torna-do, pela sua vida de pecado, indignas do nome de cristão. Em reparação desses pecados por elas cometidos, eu Vos ofereço toda a honra que o Vosso Filho bem-amado rendeu ao Vosso Nome, pelas Suas palavras e obras, ao longo de toda a Sua vida terrestre.

VENHA A NÓS O VOSSO REINO... Eu Vos rogo, ó Eterno PAI, perdoar as almas do Purgatório, por não terem sempre procurado nem desejado o Vosso Reino com bastante zelo, este Reino que é o único lugar onde reinam o verdadeiro repouso e a eterna PAZ. Em reparação desta indiferença em praticar o bem, eu Vos ofereço o Santíssimo desejo com o qual o Vosso Filho desejou que, também elas, fossem as herdeiras do Seu REINO.

SEJA FEITA A VOSSA VONTADE ASSIM NA TERRA COMO NO CÉU... Eu Vos rogo, ó Eterno PAI, que perdoeis às almas do Purgatório por não terem submetido a sua vontade própria á Vossa, nem terem procurado fazer a Vossa Vontade acima de todas as coisas. Em reparação dessa desobediência, eu Vos ofereço a perfeita conformidade do Coração pleno de Amor do Vosso Divino Filho, com a Vossa Santa Vontade, e a submissão que Vos testemunhou, obedecendo-Vos até á morte de cruz.

O PÃO NOSSO DE CADA DIA NOS DAI HOJE... Eu Vos rogo ó Eterno PAI, perdoar ás almas do Purgatório por não terem recebido a SAGRADA COMUNHÃO com bastante desejo, por terem-Na freqüentemente recebido sem recolhimento e sem amor, até mesmo indignamente, e ainda terem negligenciado em recebê-La. Em reparação de todos esses pecados, eu Vos ofereço a iminente Santidade e o grande Recolhimento de Nosso Senhor JESUS CRISTO, assim como o ardente AMOR com que Ele nos fez este incomparável Dom. (Eu Vos rogo ainda por aquelas almas que comungaram sem fé, sem gesto de adoração, não cuidando das migalhas da Hóstia, com roupas indecentes ou até provocadoras, sem se terem confessado, com pecados mortais. Eu Vos rogo, igualmente, pelas almas dos protestantes que rejeitaram este Augusto Sacramento, e agora o lamentam no meio das chamas. Compadecei-Vos delas, suscitando em mim, em seu lugar, a Fome Eucarística.)

PERDOAI AS NOSSAS DÍVIDAS, ASSIM COMO NÓS PERDOAMOS AOS NOSSOS DEVEDORES... Eu Vos rogo, ó Eterno Pai, perdoar ás almas do Purgatório, de se terem tornado culpadas, sucumbindo aos pecados mortais e por não terem querido nem amar nem perdoar os seus inimigos. Em reparação desses pecados, eu Vos ofereço a oração cheia de amor que, na cruz, o Vosso Divino Filho Vos dirigiu em favor dos Seus inimigos.

NÃO NOS DEIXEIS CAIR EM TENTAÇÃO... Eu Vos rogo, ó Eterno Pai, perdoar as almas do Purgatório, por não terem freqüentemente resistido ás tentações e ás paixões e seguido o inimigo de todo o Bem, e de se terem abandonado às concupiscências da carne. Em reparação de todos estes pecados nas suas múltiplas formas dos quais se tornaram culpadas, eu Vos ofereço a gloriosa Vitória que Nosso Senhor Jesus Cristo obteve sobre o mundo, assim como a Sua Santíssima Vida, Seu trabalho e as Suas penas, o Seu sofrimento e morte crudelíssima.


MAS LIVRAI-NOS DO MAL e de todos os castigos, em virtude dos méritos do Vosso Filho bem-amado, e conduzi-nos, assim como as almas do Purgatório, ao Vosso Reino de Glória que sois Vós mesmo. AMÉM!

domingo, 26 de janeiro de 2014